CARGA HORÁRIA:

30 HORAS

DURAÇÃO:

10 AULAS COM 3 HORAS DE DURAÇÃO

10/04/2021 A 19/06/2021

AULAS AO VIVO - SÁBADOS, DAS 9H ÀS 12H

NÃO TEREMOS AULAS DE REPOSIÇÃO - SOMENTE AO VIVO - VERIFIQUE SUA DISPONIBILIDADE

OBJETIVO

Expor e discutir conceitos psicanalíticos fundamentais, selecionados de modo a instrumentalizar os profissionais do Direito em noções básicas de Psicanálise para uma compreensão mais abrangente e profunda da subjetividade, das dinâmicas e conflitos familiares, dos Processos Judiciais e de encaminhamentos possíveis.

METODOLOGIA E CONTEÚDO

Aulas com psicanalistas e juristas, divididas em 10 temas, expondo e discutindo as linhas mestras do pensamento psicanalítico e das diferentes escolas, incluindo textos fundamentais, valorizando a influência dos fatores subjetivos no cotidiano da prática jurídica. Em todas as aulas serão abordadas as aplicações da Psicanálise ao Direito das Famílias.

CORPO DOCENTE

  • Psicólogo - Psicanalista: Analista Membro da Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória (ES);
  • Mestrado (Ufes) e Doutorado (Uerj).
  • Psicanalista Membro da Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória;
  • Vice-diretora de Relações Interdisciplinares do IBDFAM.
  • Psicanalista, membro da Escola Brasileira de Psicanálise/Associação Mundial de Psicanálise;
  • Doutora em Sociologia e Política pela UFMG com período de estudos na École des hautes études en sciences sociales (EHESS - Paris/France);
  • Coordenadora Técnica do Programa de Atenção Integral ao Paciente Judiciário (PAI-PJ/ TJMG);
  • Supervisora Clínica da Rede Municipal de Saúde Mental de Belo Horizonte;
  • Autora de diversos livros e artigos em psicanálise, direito e questões de sociedade.
  • Psicanalista;
  • Parecerista;
  • Mestre e Doutora Direito Civil - USP;
  • Diretora Nacional do IBDFAM;
  • Membro Conselho Executivo Internacional Society of Family Law
  • Psicóloga, Psicanalista;
  • Membro da Escola de Psicanálise Fóruns do Campo Lacaniano - Brasil (EPFCL);
  • Pós-graduada em Psicanálise pela Universidade Estácio de Sá (UNESA);
  • Mestre em Pesquisa e Clínica em Psicanálise pela Universidade do Estado do Riode Janeiro (UERJ);
  • Pós-graduada em Mediação de Conflitos com ênfase em família (UCAM);
  • Membro do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM);
  • Diretora de Relações Interdisciplinares do IBDFAM – Núcleo Niterói;
  • Autora de diversos livros e artigos, palestrante.
  • Psicanalista;
  • Psicóloga;
  • Professora em Psicologia Jurídica;
  • Autora de artigos técnicos na interface Psicologia e Direito.
  • Advogado especializado em Direito de Família e Sucessões, com ênfase interdisciplinar em Psicanálise;
  • Doutor em Direito pela Universidade Federal do Paraná;
  • Mestre em Direito Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais;
  • Presidente Nacional do IBDFAM.

PROGRAMA

  • 1. INTERDISCIPLINARIDADE
  • 2. POR QUE A PSICANÁLISE?
    • a) Diferenças entre psicologia, psiquiatria e psicanálise
    • b) Mudança nas categorizações binárias: são, doente, normal, anormal, vítima, algoz
  • 3. COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI? HISTORIOGRAFIA DA RELAÇÃO ENTRE O DIREITO E A PSICANÁLISE
  • 4. ALICERCES CONCEITUAIS DA PSICANÁLISE
    • a) Inconsciente
    • b) Transferência
    • c) Pulsão e Compulsão à Repetição
  • POR QUE O DIREITO DE FAMÍLIA PRECISA DA PSICANÁLISE?
  • 4. ALICERCES CONCEITUAIS DA PSICANÁLISE
    • d) Desamparo e Vulnerabilidade
    • e) Sexualidade
    • f) Instâncias da Personalidade
    • g) Conflito e funcionamento mental
    • h) Culpa e responsabilidade
  • E O DIREITO DAS FAMÍLIAS COM ISSO?
  • 5. CONCEITO DE FAMÍLIA
    • a) Psicopatologia da vida cotidiana - Há normalidade?
    • b) Complexo de Édipo revisitado
      • Configurações familiares
    • c) Funções: conceito e naturezas (materna, paterna, parental, filial, avuncular, familiar)
  • 5. CONCEITO DE FAMÍLIA
    • a) Ciclos Vitais
      • Mudanças no ciclo vital e as crises – luto e melancolia
      • Especificidades das fases da vida: infância, adolescência, juventude, maturidade, velhice
    • b) Famílias disfuncionais
    • c) Teoria Geral dos Sistemas à Luz da Psicanálise
  • 6. A PSICANÁLISE E O SOCIAL
    • a) Totem e Tabu
    • b) Mal estar na civilização
    • c) O futuro de uma ilusão
  • 7. SOMANDO ÀS CONTRIBUIÇÕES DE FREUD
    • a) Sandor Ferenczi
      • A importância da realidade e do trauma
      • Confusão de línguas entre os adultos e a criança
    • b) Melanie Klein
      • Mecanismos de defesa
      • Teoria das Posições
      • Conceitos de Inveja, Gratidão, sentimento de solidão
    • c) François Dolto
      • Adoção
      • E os pais se separam?
    • d) Donald Winnicott
      • a) Da pediatria à Psicanálise – “mãe suficientemente boa”, conceito de “holding”
    • e) John Bowlby
      • b) Teoria do Apego
    • f) Wilfred Bion
      • c) Pressupostos do funcionamento dos grupos
  • 8. PRINCÍPIOS E VALORES DO DIREITO DE FAMÍLIA SOB A ÓTICA DA PSICANÁLISE; FAMÍLIA COMO ESTRUTURAÇÃO PSÍQUICA
    • a) Dignidade da Pessoa
    • b) Melhor Interesse da Criança e do Adolescente
    • c) Afetividade
    • d) Solidariedade Familiar
    • e) Responsabilidade
    • f) Igualdade e Respeito à Diferença
    • g) Autonomia e interferência mínima do Estado
  • 9. DE FREUD A LACAN:
    • a) Mais além do princípio do prazer
    • b) O GOZO como tal
  • 10. A PSICANÁLISE E A DINÂMICA PROCESSUAL
    • a) Os afetos que nos afetam
    • b) Paixões
    • c) Ideologias - culpa
    • d) Perícias e acompanhamento terapêutico
    • e) Abusos: sexual, psicológico, moral, econômico
  • 11. DISCUSSÃO DE CASOS
    • Apresentados pelos alunos a serem selecionados previamente pelo corpo docente

INSCRIÇÕES

Ao se inscrever você concorda com os seguintes termos e condições para inscrição.
Utilizamos cookies e identificadores anônimos para controle de audiência, navegação, segurança e publicidade. Ao aceitar a nossa Política de Privacidade ou permanecer navegando em nosso portal, você concorda com essa utilização.